Notícias do Corinthians

Corinthians volta a atingir marca depois de sete anos

Por Pedro De Oliveira

Corinthians volta a atingir marca depois de sete anos

Timão não alcançava dois anos seguidos no G6 desde as temporadas 2014 e 2015

Síguenos enSíguenos en Google News

Com a vitória diante do Flamengo, na noite desta quarta-feira (2), o Corinthians garantiu ao menos a sexta posição na competição. Na temporada passada, o Timão foi quinto lugar. Essa sequência de dois anos dentro do G6 não acontece desde 2014 e 2015. Na ocasião, o alvinegro foi quarto lugar e campeão no ano seguinte.

Essa volta da regularidade do Corinthians na parte de cima da tabela é bem-vinda no clube do Parque São Jorge. Desde que foi campeão, em 2017, o Timão não conseguia mais manter uma equipe jogando bem e tendo bons resultados. Isso mostra que apesar da ausência de títulos, Vítor Pereira conseguiu manter um bom nível do time.

Mais notícias do Corinthians:

Presidente de clube esclarece sobre interesse do Corinthians em atacante
Outubro o mês das bruxas para o Corinthians

Em 2014, quando foi quarto colocado, o Timão tinha Mano Menezes no comando. O treinador tinha chegado para substituir Tite e conseguiu manter uma equipe estável, mesmo com certa ausência de brilho. A vaga na Copa Libertadores foi mais do que a equipe mereceu pelo futebol jogado, mas foi encarada como vitória.

No ano seguinte, o Timão teve a volta de Tite ao comando e mesmo com o fracasso na Libertadores, o treinador histórico do Timão levou seus comandos ao título do Campeonato brasileiro da Série A. Vale ressaltar que essa década foi muito vitoriosa para o Timão, ao todos foram três conquistas de Brasileirão.

O que esperar de 2023?

Saber se Vítor pereira fica ou não é o primeiro passo para iniciar o planejamento do Corinthians. Com um esqueleto já montado, se ficar, o treinador português deve pedir alguns reforços pontuais que elevem o nível de futebol presentado e ocupem as brechas que ainda existem no elenco. O setor de ataque, principalmente, deve ser bastante forçado para 2023.

 


Mais notícias