Notícias do Corinthians

Gaviões da Fiel fez o impossível e o Corinthians foi aplaudido de pé

Por Pedro De Oliveira

Gaviões da Fiel fez o impossível e o Corinthians foi aplaudido de pé

Agremiação tenta quebra tabu de 20 anos sem conquista de título

Síguenos enSíguenos en Google News

Quinta escola de samba a se apresentar no segundo dia de desfiles, os Gaviões da Fiel adentraram a passarela com o enredo "Vou te levar pro infinito", com a proposta de uma jornada intergaláctica. A temática é inspirada no desfile de 1995, "Coisa Boa é Eterna", um dos sambas mais aclamados na trajetória da associação.

Estabelecida em 1969, uma entidade vinculada à maior torcida organizada do Corinthians busca atualmente quebrar um hiato de 21 anos. A apresentação futurística encerrou-se com 1:05'20, quase no limite estabelecido. O intento da agremiação é abordar o ilimitado. Eles exploram a ciência, o cosmos, a expressão artística e o afeto perene pelos Gaviões da Fiel.

No Anhembi, os Gaviões utilizaram um fragmento de seu samba mais famoso para conceber o enredo deste ano. A agremiação propôs uma jornada por diferentes "infinitudes" a bordo de uma nave espacial pilotada por arlequins e colombinas de outra esfera.

A comitiva dançou trajando vestimentas espelhadas, confeccionadas a partir de recipientes PET. A coreografia da vanguarda foi elaborada por Sérgio Cardoso. Esta retrata arlequins, colombinas e arlequinas adentrando uma nave que cruza os céus; a intenção é representar o ilimitado do universo sideral. Eles foram suspensos por cordas elásticas e executaram saltos durante a performance. A agremiação desfilou ostentando uma estética bastante vívida. Contudo, é evidente que a tonalidade verde esteve ausente na exibição.

Mais de 20 anos de tabu

A figura emblemática da escola e do Corinthians, Sabrina Sato, comemora duas décadas de desfiles nos Gaviões: foi diva, madrinha e, desde 2018, foi coroada rainha da bateria. Os ritmistas foram conduzidos pelo mestre Ciro Castilho. O carro que encerrou o desfile demonstra que o amor infinito é de um adepto por sua equipe. O veículo exibe o emblema do Corinthians. Wagner Lima e Gabriela Mondjian foram o par de mestre-sala e porta-bandeira pelo quarto ano consecutivo.

Desde 2003 sem conquistar o troféu no Grupo Especial, os Gaviões tentam atualmente romper um período de seca que ultrapassa duas décadas. Seu último título remonta a 2003. A escola foi rebaixada duas vezes desde então. Na edição do ano anterior, a agremiação teve que se contentar com o 9º lugar no Grupo Especial.


Mais notícias